Não Cobiçar Mulher Próximo.

Não Cobiçar Mulher Próximo. Jesus ensinou que cobiçar a mulher do próximo é pecado de adultério.Pois Ele diz: Olhar para uma mulher com mal intenção já pecou em seu coração.

Não Cobiçar Mulher Próximo. Só olhar com mal intenção já pecou.

Não Cobiçar Mulher Próximo. Na dispensação da Lei só era adultério se homem e mulher chegasse a consumar o adultério, ambos seriam mortos por apedrejamento. Já na Dispensação da Graça basta olhar com mal intenção.

Não Cobiçar Mulher Próximo. Na dispensação da lei, ambos seriam mortos.

Não Cobiçar Mulher Próximo. Era adultério se ambos fosse pego em pleno ato, era preciso de duas ou três testemunhas.

Não Cobiçar Mulher Próximo. flagrante fora montada pelos os escribas e fariseus Jogo o povo contra e, confrontar Jesus com o governo romamno.

Não Cobiçar Mulher Próximo. flagrante fora montada pelos os escribas e fariseus Jogo o povo contra e, confrontar Jesus com o governo romano.

Seriam Julgados e condenados à morte por apedrejamento. Os fariseus montou um armadilha para incriminar Jesus.

Não Cobiçar Mulher Próximo. A mulher adultera.

Não Cobiçar Mulher Próximo. Os Escribas e fariseus trouxeram uma mulher dizendo que ela foi pego em pleno ato. Na Lei diz que tais sejam mortas, e tu, que dizes. Jesus respondeu: Se entre vós tiver algum que não tenha esse pegado, seja o primeiro atirar a pedra. Jesus se abaixou e continuou escrevendo na areia. Mulher! Onde estão teus acusadores? Ninguém te condenou? – Não Senhor, nem eu te condenaria vai em paz e não peques mais.

Conclusão.

Na acusação contra a mulher, eles se passando de cumpridores da Lei; só a mulher fora apresentada e, o homem e, isto foi uma grande falha deles, outra falha que eles queriam; que Jesus mandasse apedrejar, chocasse com Lei. Outra falha, o nação estava sobre o domínio do Império Roma, Pôncio Pilatos e o governador, daria a sentença era Ele, fariseus e escribas queria confronto Jesus contra Pilatos.

Contato: nalcyloud@hotmail.com

Autor: Bacharel em Teologia – Nalcyman Loud

Recife, 28 de maio de 2016.